Los Circos Los encerra temporada de Circulando por Campinas

Compartilhar

Apresentações gratuitas serão realizadas sábado (10), no Centro de Convivência, e domingo (11), na Lagoa do Taquaral. Espetáculo de rua reúne acrobacias, malabares e a graça dos palhaços

Atenção, Respeitável Público. Trata-se da última oportunidade para assistir ao espetáculo Circulando por Campinas, assinado pela premiada Companhia Los Circo Los. As apresentações gratuitas do projeto, que passou por diversos pontos de Campinas, serão realizadas sábado (10), às 11h, no Centro de Convivência Cultural Carlos Gomes, no Cambuí; e domingo (12), às 11h, na Lagoa do Taquaral (Portal 1).

Circulando-por-Campinas_Los-Circo-Los_Crédito_Andress-Correa

Criado a partir da estética do teatro de rua, Circulando por Campinas propõe algumas combinações entre três virtuoses das artes circenses: malabarismo, acrobacia e a comicidade dos palhaços de picadeiro. Da primeira habilidade, a plateia conferirá com olhos atentos malabares de contato (bola de cristal), com claves e bolinhas (tradicionais da lona), além de um instigante número com facas. Por sinal, essa investigação tem sido o norte da pesquisa desenvolvida pelos artistas Rodrigo Mallet e Vitor Poltronieri desde a fundação da trupe, em 2004.

A fim de intensificar as tintas de comicidade da montagem, a dupla convidou o palhaço Esio Magalhães, integrante do Barracão Teatro e intérprete de Zabobrim, para contribuir com a dramaturgia, bem como assinar a direção do espetáculo. “Busquei trabalhar a comicidade principalmente na relação entre os dois, o que é muito característico nos antagonismos das duplas cômicas. Enquanto um é menor, o outro é maior, enquanto um é mais da ordem, o outro se apresenta mais excêntrico. Trata-se realmente de uma relação arquetípica, que dá muito jogo entre as personagens e também na relação dos dois com a plateia. Nesse espetáculo, a comicidade é um acontecimento surpreendente”, explica Esio.

A plateia não está esquecida durante o espetáculo. Pelo contrário, até para reafirmar a estética dinâmica e participativa da teatralidade da rua, o público se torna ator principal em determinados momentos da trama. “Os espectadores são fundamentais. Além de serem cúmplices dos jogos propostos pelos atores, eles são partes integrantes do espetáculo, tanto participando efetivamente de algumas cenas quanto influenciando as personagens nas tomadas de decisões. A montagem é muito interativa”, explica Vitor Poltronieri.

Programação
Sábado (10), às 11h
Local: Centro de Convivência Carlos Gomes (Praça Imprensa Fluminense, s/n, Cambuí)
Domingo (11), às 11h
Lagoa do Taquaral: Portão 1 (Av. Dr. Heitor Penteado, no Taquaral)
Classificação etária: Livre
Quanto: Ingresso no chapéu

Deixe uma resposta