Pesquisa da Unicamp vence Prêmio Santander

Compartilhar

A Unicamp é uma das vencedoras do Prêmio Santander Universidades 2015. A partir da pesquisa “Avaliação da imunomodulação e do processo de cicatrização envolvidos no tratamento de fístulas enterocutaneas realizado com células estromais mesenquimais de tecido adiposo humano, aderidas a fios de sutura”, do biólogo Bruno Bosch Volpe, surgiu a FAWKE, empresa pré-incubada na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp (Incamp), que venceu na modalidade Empreendedorismo. No total, foram 21 premiados nas categorias Empreendedorismo, Ciência e Inovação, Universidade Solidária e Guia do Estudante – Destaques do Ano. Os vencedores foram conhecidos na última quinta-feira (19), no Grand Hotel Hyatt de São Paulo.

O trabalho foi inscrito na categoria Empreendedorismo por estar inserido num grupo multidisciplinar de alunos de graduação das Engenharias da Unicamp, que tem a estudante Marina Alves Machado como líder. A partir da pesquisa de Bruno, o grupo criou a startup FAWKE – empresa formada com foco na comercialização dos fios de sutura. De acordo com Bruno, a ideia de criação de uma startup surgiu no início de 2015 quando a equipe, formada por ele, Marina, Joel Souza – doutor em ciências pela FCFRP-USP, Maria Fernanda Toledo e Vítor Sarti, alunos da Engenharia Química, participou do Desafio Unicamp. “Com a ideia ainda muito inicial, passamos algumas fases do Desafio, mas não fomos finalistas. Após esse período, resolvemos continuar com o projeto de startup utilizando o produto ‘fios de sutura com células-tronco aderidas’. Com isso, melhoramos muito e iniciamos a disputa do Prêmio Santander Universidades”, conta Bruno.

De acordo com a docente Ângela Cristina Malheiros Luzo, que orientou a pesquisa de Bruno, a categoria Empreendedorismo teve 18 mil inscritos. Na quarta-feira (18), véspera da premiação, os finalistas tiveram que fazer uma apresentação de seus projetos para o júri. Marina foi quem apresentou o projeto FAWKE. Depois das apresentações, cada equipe recebeu uma pontuação. E, assim, foram conhecidos os vencedores de cada categoria. Os responsáveis pelos projetos ganhadores receberam R$ 100 mil, além de bolsas de estudos na Babson College, nos Estados Unidos, e mentoria da Endeavor e da UniSol. Bruno Volpe acompanhou a cerimônia de entrega. Receberam o prêmio, o coordenador geral da Universidade Alvaro Penteado Crósta, a docente Ângela Cristina Malheiros Luzo e a aluna Marina Alves Machado.

A pesquisa de Bruno, decorrente do mestrado defendido na Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, buscou avaliar a adesão de células tronco mesenquimais, extraídas da gordura, em fios de sutura. Os resultados indicaram que os fios proporcionaram melhor cicatrização de lesões e melhor recuperação nos animais utilizados para o estudo. Agora no doutorado, Bruno investiga os efeitos dessa cicatrização, por intermédio do Grupo Multidisciplinar de Terapia Celular da Unicamp, que conta com pesquisadores da FCM, Faculdades de Engenharia Mecânica (FEM) e Engenharia Química (FEQ), dos Institutos de Biologia (IB), Química (IQ) e Física (IFGW). O grupo também possui membros do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Biofabricação (Biofabris) e do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS).

“O Prêmio Santander Universidades é um dos mais importantes prêmios de apoio à ciência e ao empreendedorismo dentro das universidades brasileiras. Sendo assim, essa premiação representa muito para nossa equipe e para a Universidade, já que nos possibilita dar continuidade para o desenvolvimento do projeto. O prêmio ainda é um grande reconhecimento da qualidade de trabalho feito na Unicamp”, finalizou Bruno, que também teve sua pesquisa premiada no início de novembro no Canadá.

Deixe uma resposta