Projetos do Programa Aluno-Artista da Unicamp estão no SESC-Campinas

Compartilhar

Texto originalmente publicado em https://www.unicamp.br/unicamp/eventos/2019/06/27/projetos-do-programa-aluno-artista-da-unicamp-serao-apresentados-no-sesc

Sete projetos apoiados na 8ª Edição do Aluno-Artista, programa do Serviço de Apoio ao Estudante (SAE) da Unicamp, estão sendo apresentados nos meses de julho e agosto no Sesc-Campinas, à Rua Dom José I, 270, no bairro do Bonfim. Todas as apresentações são gratuitas. Para algumas, os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência.

A primeira apresentação, a peça teatral “O Grande Duelo”, foi encenada pelo grupo Criados Mudos, dia 5 de julho, às 20 horas. A peça experimenta trazer os signos do cinema mudo como ferramentas para criação em cena. No espetáculo exibições de vídeos autorais relacionando-se com o elenco presente acompanhados por trilha musical executada ao vivo como um faroeste brasileiro que, subvertendo expectativas, tem como protagonista e antagonista duas personagens femininas. No elenco: Juliana Eiras , Pedro Ernesto Ferreira. Bruno Mariani, Germanno Falcão, Giovanna Telles e Jasmine Alves.

A segunda apresentação será de dança com o grupo Mira, no dia 10 de julho, às 18h30. As ideias que movem a obra são as possibilidades de dinâmicas nos encontros e enfrentamentos entre si e o outro. Corpos que estão no mundo e ao mesmo tempo passam imperceptíveis por ele. Nos confrontamos com nós mesmos, com nossas ambivalências e nossos medos, resultando em constantes jogos de forças opostas. 

Bailarinos criadores: Audrey Lyra, Amanda Negrão, Ana Laura Queiroz, Catu Nader, Beatriz Borghi, Carolina Gasquez, Carol Ormelezi, Giovanna Herrera, Letícia Bergamo, Luma Canepa, Natália Bíscaro, Thayná Cardoso, Thaís Esteves, Victor Caramigo. Trilha sonora: Anderson Ramirez Kaltner. 

No dia 11 de julho, às 19 horas, é a vez do grupo Morganas com a performance de dança “Dançando, vestindo e outros sentidos”.Explorando a corporalidade do vestir, corpos vão sendo ressignificados por texturas, estados e qualidades. Dança-se em busca da essência dos espaços e de si mesmas, para assim refletir e gerar reflexão sobre o auto-olhar e o corpo feminino no ambiente. As bailarinas criadoras são: Iara Medeiros, Rubia Amaral, Hellen Marques e Sofia Cruz.

No dia 19 de julho, às 20 horas, a atração será o coletivo Atravessadas com o projeto de dança “Resistências”. Ele trata da força que surge da necessidade de existir, que se revela no encontro com a cidade, constantemente tensionando a lógica do contexto urbano. Esses enfrentamentos cotidianos despertam o olhar das artistas para uma poética da resistência.

Os bailarinos criadores são: Maria Resisewitz, Ana Mindlin, Victor Isidro Lopes e Taiana Ferraz.

Cinema e vídeo:
Dia 23/7, terça, às 19h.
NO FIM DA ESTRADA (Brasil, 2018, 23 min. Direção: Matheus Augusto)
Um velho senhor morando sozinho numa casa ao fim de uma estrada, ao receber uma inesperada visita, defronta-se com seus problema de relacionamento com a família. [Assista ao trailer]

Dia 30/7, terça, às 19h.
FIOS DA RESISTÊNCIA (Brasil | 2018 | 15 min | Direção: Larah Camargo)
Curta-metragem documental sobre a formação de novas redes de apoio da negritude na internet: como é que grupos do Facebook, canais do Youtube e influenciadores se tornaram uma ferramenta fundamental no processo de ressignificação identitária e estética de pessoas negras.

Dia 6/8, terça, às 19h.
MARIA DOS RETALHOS – VIM COMO MÃE (Brasil | 2018 | 17 min | Direção: Ana CK Inada, Beatriz Marques da Silva)
Documentário sobre costura no sentido mais alargado que a palavra pode exprimir. Não há limites. Existe a margem que sempre pode ser alargada com algum resto de tecido.

Autor: Hélio Costa Júnior
Outras informações pelo e-mail: comissaoalunoartista@sae.unicamp.br, telefone: 19-3521-7393, ou no SESC-Campinas.

Hebe Rios

Editora-chefe

Deixe uma resposta