Guia prático para não ser um mané em tempos de Covid-19

Compartilhar

O desespero em época de crise pode ser amenizado com práticas individuais e coletivas, por isso, a psicóloga e hipnoterapeuta da Epopéia Desenvolvimento HumanoSabrina Amaral, separou algumas dicas para passar por este período de maneira mais tranquila e segura.

Não seja a Pollyana do Conavírus
Para quem não sabe, a Pollyana é uma personagem que via o mundo cor-de-rosa, não importasse o tamanho da tragédia. O que isso significa na prática? Parar de dizer que o Covid-19 é ‘apenas uma gripezinha’, que é tudo exagero e que você se recusa a ficar em casa, ou ainda que, para acabarmos com o surto temos que elevar nossa frequência vibracional – enquanto você esquece de cuidados básicos como lavar as mãos. Evite os extremos, polarizar-se com o pânico não é bom, contudo, fingir que nada está acontecendo também não ajuda. O caminho do meio é sempre a melhor opção.

Pare de postar
A maior parte das pessoas têm mais fotos e informações sobre o Coronavírus do que selfies e fotos da família no celular. O motivo disso é que as pessoas estão ensandecidas, compartilhando informações loucamente em todos os canais online e offline, como se isso fosse ajudar em alguma coisa. Além de aumentar a ansiedade, esse comportamento alimenta a propagação de fake news por aí… A recomendação aqui é parar com o overposting e sair um pouco do celular. Ah! E antes de compartilhar uma notícia, cheque para saber se de fato ela é real.

Dicas de sites para averiguar Fake News
https://saude.gov.br/fakenews
https://g1.globo.com/fato-ou-fake/
https://piaui.folha.uol.com.br/lupa/
https://www.boatos.org/

Pense no coletivo
Quando falamos do coletivo, tendemos a pensar na nossa comunidade. No entanto, o coletivo começa bem pequeno: dentro de casa. Em momentos de isolamento é importante ter regras de convivência, acordos e combinados para que todos possam estar juntos em harmonia.

Claro que também é importante pensar no macro, então, que tal perguntar para sua vizinha idosa se ela precisa de alguma coisa do mercado? Ou, ao invés de esvaziar as prateleiras de álcool gel, pensar que é melhor dar oportunidade para outras pessoas comprarem também?

Outro ponto importante ao pensar na comunidade é priorizar o consumo dos pequenos empreendedores e produtores que sofrem muito com a crise, ao contrário das grandes redes que vão sentir o impacto, porém de forma mais amena. Assim você supre sua necessidade e ajuda a economia local girar.

Você não está de férias
Pode parecer, mas você não está de férias… mantenha suas atividades de trabalho e planejamento na medida do possível. Isso significa que não é hora de ir para shopping – até porque muitos estão fechados –, lotar a praia, o parquinho do prédio, tão pouco passar o dia ‘maratonando’ séries no Netflix.

Claro que isolamento é diferente de enclausuramento. Então, tenha espaços para sair, tomar um sol, respirar ar puro e fazer uma atividade física. Você também pode buscar alternativas de se conectar com a família e amigos através das ‘zilhões’ de plataformas online que temos atualmente.

Por último, e não menos importante, procure planejar suas demandas, manter o ritmo de suas atividades de maneira equilibrada e saudável. Se você, assim como centenas de pessoas aderiu ao home office, pode buscar dicas de produtividade aqui.

Cuide de você
Você já ouviu falar da Psiconeuroimunologia? É uma frente de estudo da medicina que surgiu na década de 1980 e já atestou, através de milhares de estudos, o quanto nossos pensamentos e sentimentos interferem na nossa saúde física.

O que isso significa na prática? Se você é do tipo pessimista, que só alimenta pensamentos negativos, dissemina o pânico e a pandemia do medo, você está bombardeando seu sistema nervoso de cortisol e outras substâncias que aumentam sua pressão arterial, dão taquicardia, injetam açúcar no sangue e bombardeiam seu sistema imunológico dando espaço para vírus oportunistas (inclusive o Covid-19).

O que fazer então? Busque o equilíbrio emocional. Aproveite o tempo de isolamento para fazer tudo aquilo que você não consegue por conta da correria. Vale colocar em dia a leitura, aprender um idioma, fazer cursos online – tem vários gratuitos –, aprender um trabalho manual, ficar mais tempo com a família, meditar, testar uma nova receita na cozinha, arrumar o guarda-roupa e o que mais você quiser! A atitude positiva e de gratidão estimulam seu sistema imunológico e desencadeiam a produção de neurotransmissores que vão fazer você se sentir cada vez melhor!

Dicas de sites para cursos e livros gratuitos
https://www.tecmundo.com.br/ciencia/151229-cursos-online-conteudos-gratuitos-durante-quarentena-coronavirus.htm
https://www.edx.org/school/harvardx
https://www.amazon.com.br/s?k=scielo&__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&ref=nb_sb_noss_1
https://www.udemy.com/
https://www.linkedin.com/learning/paths/trabalho-remoto-colaboracao-foco-e-produtividade
https://www.toolzz.com.br/institutoexito/catalogo

Gostou das dicas? Então coloque-as em prática a partir de agora, compartilhe com os amigos e a família. Juntos somos mais fortes e vamos passar por tudo isso! Amanhã, esse dia será apenas uma lembrança de superação e que nos fez lembrar daquilo que é realmente importante.

Sabrina Amaral
Idealizadora da Epopéia Desenvolvimento Humano, a psicóloga e hipnoterapeuta Sabrina Amaral é graduada em psicologia e pós-graduada em gestão estratégica de pessoas, especializada em hipnose clínica avançada, pela Omni Hypnosis Training Center, hipnose para tratamento de dor crônica pelo HypnoPain, e tem ainda formação em Transe Conversacional – ACT (Elizabeth Erickson), entre outras capacitações que a tornam uma referência no assunto na Região Metropolitana de Campinas, onde também é embaixadora e mentora da Rede Mulher Empreendedora.

Da sua crença na transformação do ser humano, após uma vivência de duas décadas na gestão de processos de RH, nasceu a Epopéia Desenvolvimento Humano que se propõe a levar à tona o que o cliente tem de melhor com o intuito de ajudá-lo no processo de se tornar pleno, inteiro e feliz

Fonte: Assessoria de Imprensa

Hebe Rios

Editora-chefe

Deixe uma resposta