Comédia romântica “Nós Sempre Teremos Paris”, com a atriz Françoise Forton, acontece nos dias 9 e 10 no Teatro Brasil Kirin

Compartilhar

Espetáculo embalado por repertório francês do século XX terá duas apresentações: dia 09 de novembro, às 21h, e dia 10, às 19h

A peça “Nós Sempre Teremos Paris”, escrita por Artur Xexéo, dirigida por Jacqueline Laurence e interpretada por Françoise Forton e Aloisio de Abreu, desembarca em Campinas após ficar um ano em cartaz no Rio de Janeiro. O espetáculo terá duas apresentações, dia 09 de novembro (sábado), às 21h, e dia 10, às 19h, no Teatro Brasil Kirin, no Iguatemi Campinas. A programação cultural do teatro tem patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro.

Françoise Forton (foto por Assessoria de Imprensa dos espetáculos do Teatro Brasil Kirin)

O nome da peça já revela os ares envolventes da encenação, vinda de uma das mais célebres frases do cinema mundial – a cena final de Casablanca – e ambientada em um café no Boulevard Montparnasse, “Nós Sempre Teremos Paris” é uma comédia romântica embalada pelo repertório francês do século XX. Acompanhados por três músicos tocando ao vivo, os atores cantam canções francesas como “C’est si bom”, “La vie en rose” e até uma versão de “Garota de Ipanema”, para relatar a história de encontros e desencontros de um casal.

Françoise Forton, que está completando 45 anos de carreira e atualmente faz parte do elenco da novela das 21h escrita por Walcyr Carrasco, “Amor à vida”, revela sua ligação com a França. “Meu pai era francês e minha mãe falava em francês comigo em casa, então é afetivamente um resgate muito carinhoso de uma época da minha vida. ‘Nós Sempre Teremos Paris’ é uma história delicada e absolutamente possível”.

“Sempre acreditei no sucesso da ideia do Eduardo Barata de produzir um pequeno musical que tivesse a canção francesa do século XX como protagonista. Desde sua primeira apresentação deu para perceber que a peça atinge o coração da plateia”, conta o autor, responsável também pela escolha do repertório e pelas versões. “O texto foi escrito ao mesmo tempo em que eu escolhia as canções. De alguma maneira elas dormiam no meu inconsciente. Espero que o público mais jovem perceba que o romantismo fica muito mais romântico em francês”, completa Xexéo.

Para a diretora Jacqueline Laurence, a música francesa provoca um encantamento no público. “Acho que ‘Nós Sempre Teremos Paris’ promove esse encontro entre as duas culturas de forma simples e elegante”, afirma.

Na direção musical da peça está Marcelo Nogueira, que explica a função das canções no espetáculo: “Não é um show, a música conta a história com o texto. A nossa preocupação é com a interpretação, com a construção disso dentro da cena. A peça é uma história musicada”. Com percussão, violão, baixo, piano e acordeon, “Nós Sempre Teremos Paris” traz uma instrumentação mais intimista aliada às músicas que climatizam a cena. Danilo Timm é o preparador vocal da peça.

Nos palcos, ao lado da atriz Françoise Forton, está Aloisio de Abreu. “A linguagem do musical sempre esteve comigo, é um formato que me agrada e me sinto muito à vontade. Estou adorando fazer ‘Nós Sempre Teremos Paris’, é um espetáculo intimista e romântico. A comédia romântica é um terreno que piso com prazer”, diz o ator.

O espetáculo estreou em setembro de 2012 no Rio de Janeiro. Ficaria apenas algumas semanas em cartaz, fez sucesso e tomou outro rumo devido às proporções atingidas. “Iniciamos em horário alternativo e com previsão de ficarmos seis semanas em cartaz. Mesmo sem patrocínio, permanecemos por um ano, passamos para o horário nobre e realizando 5 sessões por semana”, comenta Eduardo Barata, idealizador do projeto, sobre a trajetória do espetáculo no Rio de Janeiro.
Os ingressos custarão R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia).  E a venda será pelo  Ingresso.com (www.ingresso.com.br) ou na bilheteria do teatro de terça-feira a sábado, das 13h às 21h, e domingos das 12h às 20h. A classificação etária é livre e tem duração de 60 minutos.
Para mais informações e programação acesse www.teatrobrasilkirin.com.br

 

Deixe uma resposta