Luiz Roberto Saviani Rey lança sua terceira obra literária

Compartilhar

Na terça-feira, 17 de dezembro, o jornalista Luiz Roberto Saviani Rey lança seu terceiro livro, “Taunay em Campinas – O retiro antes da Laguna”. O evento acontece a partir das 19h30, na Livraria da Vila, no Galleria Shopping, em Campinas.

Esta é a terceira obra de autoria do jornalista e professor da Faculdade de Jornalismo da Puc-Campinas. Saviani é também autor dos títulos “A Crônica é Jornalística e Brasileira”, lançado em 2007, e “A maldição dos eternos domingos sem derby”, de 2010.

Capa do livro “Taunay em Campinas – O retiro antes da Laguna” do autor Saviani (foto: divulgação)

Sobre a obra

Entre abril e junho de 1865, durante a Guerra do Paraguai, a força expedicionária criada por D. Pedro II para atacar o forte exército comandado por Solano López pelo flanco Norte, estacionou por 66 dias em uma Campinas rica e que vivia o auge do café, mas que ainda se debatia com problemas de saneamento e para se livrar dos costumes colonialistas.

Um contingente de 1.779 homens acampou nesse período outonal no bucólico Largo Santa Cruz – hoje o elegante bairro do Cambuí -, e os membros do estado-maior das tropas, em conjunto com a comissão de engenheiros militares – a qual incorporava o jovem Alfredo Maria Adriano d’Escragnolle Taunay, posteriormente o Visconde de Taunay da História do Brasil – viveram dias trepidantes, entre jantares e regabofes, bailes e jogatinas, flertes e namoricos, em uma espécie de antessala do céu, antes do inferno da Guerra. De uma força com mais de 3 mil homens, apenas 700 conseguiram se retirar da Laguna, em uma ação histórica e heroica.

O título do livro parafraseia a obra de Taunay – relator das tropas – A Retirada da Laguna, em que descreve a tibieza da força brasileira ante um exército paraguaio forte e raivoso, mas também dizimada por doenças e ausência de suprimentos. Saviani restringe-se ao período desde a formação militar de Taunay, a partida para Santos e o trajeto entre a Serra do Mar, São Paulo, Jundiaí, Campinas e Mogi Mirim.

A ideia de escrevê-lo nasceu em 2006, quando o jornalista produzia curtos roteiros de documentários sobre a história de Campinas. Ao tratar do histórico do Largo Santa Cruz, descobriu o monumento existente na praça, celebrando a parada dos “Heroes da Laguna”. Ao mesmo tempo, caiu em suas mãos o livro do Visconde de Taunay. Saviani, extasiado, encontra no meio dos relatos da Guerra do Paraguai a exclamação do então jovem tenente-engenheiro do Exército Brasileiro: “Ah! Campinas!”, acompanhada de breve histórico daqueles dias, pautados por festas e jantares, bailes e saraus e o envolvimento dos soldados com a rica sociedade campineira.

A longa parada se deu por conta do espírito inerte, infantil, mas extremamente social do coronel Manuel Pedro Drago – escolhido a dedo por D. Pedro para chefiar a expedição -, o qual, além de dançar muito bem era dado a se meter em ambientes das senhoras, conquistando amizades e simpatias. O atraso e o festival de bailes e jantares são explorados de forma crítica pela imprensa do Rio de Janeiro, obrigando as tropas a marchar rumo a Uberlândia, onde se completam com três mil homens e seguem para Goiás e o Sul de Mato Grosso, até a Fazenda da Laguna, de propriedade de López, onde ocorre a retirada épica.

O livro reserva surpresas e históricos inéditos ao cidadão comum, mostrando o envolvimento de Taunay com construções sacras da cidade, sua preocupação desvelada e seus préstimos de engenheiro a uma obra monumental, hoje um dos cartões postais da cidade.

Deixe uma resposta