Primeira vacinada do interior de SP é técnica de Enfermagem do HC de Campinas

Compartilhar

Vacina do Instituto Butantan começou a ser aplicada nesta tarde (18) na Unicamp; doses são destinadas a 4 mil profissionais do HC

A primeira vacinada contra a COVID-19 do interior de São Paulo é técnica de Enfermagem do HC de Campinas (Unicamp). Liane Santana Mascarenhas Tinoco nasceu em 1971 em Itaberaba, Bahia. Moradora de Campinas há 16 anos, trabalha no HC desde 2010. Liane atua na enfermaria específica para casos de Coronavírus desde o início da pandemia, ajudando a salvar vidas.

Casada e sem filhos, se sente muito otimista e esperançosa com a vacina. “Desde o começo, o desconhecimento gerou medo e insegurança, mas busquei forças e fui em frente. Agora estou vacinada”, relata Liane, já com seu comprovante de vacinação.

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, e o governador do Estado de São Paulo, João Doria, participaram do evento

O HC de Campinas é o primeiro hospital do interior a iniciar a vacinação de seus 4 mil profissionais. As doses da vacina do Instituto Butantan, que começaram a ser aplicadas nesta tarde (18), saíram da capital paulista às 8h. Por volta das 15h30 a equipe já estava preparada para vacinar os primeiros profissionais que atuam na unidade.

A distribuição das vacinas, seringas e agulhas para o interior também começou nesta segunda-feira (18) para cinco hospitais-escola do interior: os Hospitais das Clínicas de Campinas, Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto. No total, cerca de 60 mil profissionais que atuam nesses hospitais serão imunizados contra a COVID-19.

Além disso, desde às 7h, já estão sendo aplicadas doses da vacina em trabalhadores do Complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, da capital.

A campanha começou ainda no domingo (17), minutos após aprovação do uso da vacina do Instituto Butantan pela Anvisa. Somente ontem, foram vacinadas 112 pessoas, incluindo a primeira brasileira a ser vacinada no país: a enfermeira Mônica Calazans, da UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

“As vacinas e insumos chegaram ao HC de Campinas no final desta manhã (18) e agora já temos os primeiros vacinados do interior. Isso é fruto do planejamento e compromisso com a missão de salvar vidas”, afirma a Coordenadora de Controle de Doenças, Regiane de Paula.

A partir de amanhã (19), grades de vacinas e insumos também serão enviadas a polos regionais para redistribuição às Prefeituras, com recomendação de prioridade a profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia. Os municípios também deverão imunizar a população indígena com apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local.

Cada hospital será responsável pelo preenchimento dos sistemas de informação oficiais definidos pela Secretaria da Saúde para monitoramento da campanha.

A divisão das grades considerou o quantitativo proporcional de vacinas esperado para São Paulo conforme o PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde. O total de 1,5 milhão de doses é a referência para trabalhadores de saúde, baseado na última campanha de vacinação contra a gripe.

A campanha de imunização contra a COVID-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação contra a COVID-19 serão divulgados pelo Governo de São Paulo.

Vacinas em Campinas 

A partir desta terça-feira,19 de janeiro, grades de vacinas e insumos serão enviadas aos polos regionais para distribuição às prefeituras.  “Assim que as vacinas chegarem, vamos distribuir aos hospitais públicos e privados, que farão a vacinação. Nós já cadastramos todos os hospitais de Campinas e cerca de 15 mil pessoas receberão a vacina. As informações extra oficiais é que as vacinas chegam amanhã. Não temos o número exato de doses, mas pelas contas que fizemos, 15 mil chegam. Ainda não temos o horário, mas estamos com toda a logística de distribuição preparada”, disse o prefeito Dário Saadi.  

De acordo com ele, a abertura do agendamento para os outros grupos previstos na primeira fase vai depender da quantidade de doses que a cidade irá receber. A prioridade é quem está atuando na linha de frente.  O agendamento será feito por meio do portal da Prefeitura de Campinas, pelo telefone 160 ou pelo centro de saúde de referência. Quem optar pela internet, deverá acessar o endereço www.campinas.sp.gov.br e clicar em um banner sobre a campanha de vacinação.  Será necessário preencher um cadastro e as opções de horário serão disponibilizadas. A pessoa poderá escolher dia e horário. No fim do processo de agendamento será emitido um comprovante com todos os dados, que pode ser impresso ou armazenado no celular.  

A ida ao centro de saúde só é recomendada em último caso, pois há um grande volume de atendimentos de saúde nas unidades.  No dia da vacinação, as pessoas devem levar documento com foto.   

Centros de Imunização 

Em Campinas, as vacinas serão aplicadas em pelo menos cinco centros de vacinação (há possibilidade de ampliação), um por região da cidade: 

 – Casa da Criança Paralítica – Rua Pedro Domingos Vitali, 160 – Parque Italia (região Sul) 

– Naed Noroeste – Avenida Ibirapuera, s/nº, Jardim Londres (região noroeste);

– Centro de Vivência do Idoso – Lagoa do Taquaral – portão 5 (região leste);

– Círculo Militar- Avenida Getúlio Vargas, 200. Jardim Chapadão (região norte);

– CAIC Sudoeste – Rua José Augusto de Mattos, s/nº, Vila União (região sudoeste). 

O público-alvo da primeira etapa inclui profissionais de saúde, pessoas a partir de 60 anos de idade, indígenas e quilombolas. A primeira etapa será dividida da seguinte maneira: 

1º – profissionais de saúde, indígenas e quilombolas – cerca de 63 mil pessoas em Campinas

2º – pessoas com 75 anos ou mais – 40.383 pessoas

3º – 70 a 74 anos – 26.309 pessoas

4º – 65 a 69 anos – 33.507 pessoas

5° – 60 a 64 anos – 46.169 pessoas

Fonte: Assessoria de Imprensa Secretaria Especial de Comunicação de SP e Assessoria de Comunicação de Campinas

Deixe uma resposta