Museu Olho Latino expande a Bienal do Esquisito para Lima

Compartilhar

A 8ª Bienal do Esquisito, realizada pelo Museu Olho Latino em Atibaia, expande o evento com a versão da II Bienal de lo Inusitado exposta em Lima, Peru.

A 8ª Bienal do Esquisito realizada pelo Museu Olho Latino acontece desde 13 de dezembro no espaço do próprio Museu e do Centro de Convenções e Eventos “Victor Brecheret” em Atibaia. O evento ocorre com uma ramificação no Peru, intitulada II Bienal de lo Inusitado. A mostra naquele país está sendo exposta na Galeria Tarsila do Amaral do Centro Cultural Brasil – Peru da Embaixada do Brasil no Peru, localizada em Lima. Paulo Cheida é o idealizador e curador do evento. No Peru, além de Cheida, a equipe curatorial está formada com a participação de Rose Falcão e Olga Flores.

A temática da mostra “Transmutação da Verdade”, proposta por Paulo Cheida, inspirou os artistas brasileiros e peruanos. Trata-se de uma reflexão visual sobre a “verdade” em nossos dias, de como ela é transpassada pelos meios de comunicação e redes sociais e como convivemos em nosso cotidiano com o misto de verdade e mentira na profusão de imagens, notícias e comentários em nossas vidas.

A Bienal de lo Inusitado está sendo realizada com os mesmos participantes da Bienal do Esquisito em Atibaia. Tem alcançado destaque, projeção e respeito pela qualidade expressiva e artística das obras expostas. Conta com a exposição de obras bidimensionais e tridimensionais, com exibição de videoartes e de performances. Entre os expositores, participam artistas representantes da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás, da Faculdade de Arte da Pontifícia Universidade Católica do Peru, do Núcleo de Pesquisa e Gravura da Universidade Federal do Piauí e do Coletivo Olho Latino. Este coletivo é formado por artistas residentes em Campinas e região: Alex Roch, Bruno Nitz, Celina Carvalho, Cibele Marion Sisti, Larissa Leite Zanandréa, Maricel Fermoselli, Mathias Reis, Paulo Cheida Sans, Suely Arnaldo e Tiago Rego.

Para dialogar e mostrar os resultados das exposições, será transmitida uma videoconferência com a participação dos artistas brasileiros e peruanos. Como convidado do Museu Olho Latino participará o professor e artista plástico Mário Gravem Borges para fazer comentários sobre o evento e também tecer a sua opinião sobre os vídeos participantes.

A Bienal do Esquisito tem uma história de êxito e contribuição cultural. Idealizada pelo curador Paulo Cheida, as primeiras edições aconteceram no SESC Campinas, passando a ser realizadas em Atibaia em função do Museu Olho Latino ter se fixado com sede expositiva na cidade, a partir de 2006. Os temas sugeridos pelo curador causaram estímulo entre os artistas participantes através dos anos. Temas como “A moda da antimoda”, a “Emenda da churrasqueira”, o “Enterro da sardinha”, a “Poética do nada”, o “Aqui já é lá!”, “A face oculta de um acéfalo” e “O Espantalho que não mente” trouxeram uma sinergia para a sequência das Bienais que tem como objetivo unir o público infantil, adolescente e adulto para conhecer e vibrar com a criatividade.

Para Paulo Cheida, estar realizando o evento em conjunto com o Centro Cultural Brasil – Peru em Lima é uma grande honra e satisfação. É uma união cultural que somente beneficia os artistas, o público e também o elo latinoamericano tão necessário para o crescimento entre os envolvidos. Cheida acredita que a arte e a cultura têm uma força insubstituível de compreensão entre as ideias, tradição e costumes dos povos. Afirma que “o mundo será melhor quando a arte for valorizada e apreciada pelas pessoas, independente de lugar e livre de qualquer preconceito”.

O Museu Olho Latino pretende mostrar uma versão parcial da 8ª Bienal do Esquisito, em breve, na Galeria Olho Latino a ser inaugurada no município de Hortolândia.

A 8ª Bienal do Esquisito poderá ser visitada até 31 de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, na Alameda Lucas Nogueira Garcez, 511 – Parque das Águas – Atibaia, SP. A II Bienal de lo Inusitado também poderá ser visitada até 31 de janeiro no Centro Cultural Brasil – Peru situado à Calle Atahualpa, 390 – Miraflores, Lima, Peru.

Deixe uma resposta