Vitória de Camilo em dia de comoção na Stock Car

Compartilhar

Feito coloca pressão no líder Cesar Ramos, que vê diferença cair para apenas dois pontos

No dia em que a Stock Car parou para homenagear um de seus nomes históricos, o chefe de equipe Amadeu Rodrigues, falecido no sábado passado em um acidente automobilístico, o paulista Thiago Camilo obteve uma vitória dramática durante a oitava etapa da temporada, disputada hoje (7) no Autódromo Internacional de Curitiba.

Depois de largar da pole, Camilo perdeu a ponta para Guilherme Salas na 10ª volta durante o pit stop obrigatório, mas recuperou a dianteira na volta 24 utilizando com inteligência o botão de potência extra (push to pass).

Emocionado, o vencedor levou para o pódio as filhas de Rodrigues, Bárbara e Juliana, em uma cena que silenciou os membros das equipes presentes. Esta foi a quarta vitória da carreira de Thiago Camilo em Curitiba, feito que agora o alça da quinta para a segunda posição da tabela, com 178 pontos.

O parceiro de equipe de Camilo, o gaúcho Cesar Ramos, largou da quinta posição e terminou em 13º depois de perder dez segundos durante o pit stop devido a um problema na porca do pneu traseiro esquerdo. Ramos chegou líder em Curitiba e segue na ponta, mas agora tem apenas dois pontos de vantagem para o vencedor de hoje.

Com os dois pilotos no alto da tabela, a situação do campeonato destaca a força da equipe A.Mattheis Ipiranga em 2020. Entre as demais equipes, somente a Eurofarma RC tem dois pilotos entre os dez melhores, com Ricardo Maurício somando 165 pontos e Daniel Serra, 153, na quarta e sexta posições, respectivamente.

Camilo levou ao pódio as filhas de Amadeu Rodrigues, Bárbara e Juliana(Duda Bairros/Stock Car)

Campeonato – Com Ramos (180 pontos) e Camilo (178) na liderança, a tabela tem agora Ricardo Zonta em terceiro (167), seguido por Maurício (165), Rubens Barrichello (162), Serra (153), Allam Khodair (145) e Gabriel Casagrande (140) fechando os oito primeiros.

O momento, no entanto, não é cômodo para ninguém, uma vez que neste domingo a Stock Car coloca em jogo um máximo de 54 pontos durante a nona etapa, com 30 concedidos para o vencedor da primeira corrida e 24 para quem faturar a prova complementar da rodada dupla do dia.

“Foi uma vitória emocionante. Fico feliz de ter sido a figura representativa no pódio na homenagem ao querido Amadeu, um cara que foi muito guerreiro, muito batalhador”, comentou o vencedor cujo pai, Bel Camilo, foi piloto contemporâneo de Amadeu na época em que também competia ao volante.

“A gente vê isso na força das filhas dele, dando continuidade ao trabalho eu ele fazia, ao legado. Eu sei que ele torcia muito por mim, sei que ele gostava muito de mim. Então, esteja onde estiver, que ele continue me abençoando para eu conquistar meu objetivo no final do ano”, comentou Thiago, que é um dos pilotos mais bem sucedidos da categoria, mas ainda tenta obter seu primeiro título de campeão.

”Vitória escapou” – O segundo lugar foi de Guilherme Salas, que liderou uma corrida da Stock pela primeira vez em “carreira solo” – em 2015, o piloto da KTF largou da pole como convidado de Ricardo Maurício na Corrida de Duplas. “O ritmo do carro hoje estava na medida certa. Mas depois do pit stop nosso carro perdeu um pouco de equilíbrio e isso atrapalhou bastante nas voltas finais.

Se não tivesse o safety car, a vitória seria da nossa equipe. Mas um passinho de cada vez e a gente vai chegar lá”, resumiu Salas, referindo à entrada do carro de segurança para a retirada do Chevrolet Cruze de Átila Abreu, que havia ficado preso na brita.

Em terceiro chegou o atual campeão, Daniel Serra, que com o resultado ganhou uma posição na classificação do campeonato e continua a desenhar uma reação após um início de temporada tímido. “Mais um pódio e é isso… a gente vai subindo”, disse Serra, ponderando sobre o seu resultado. “Pensamos que tínhamos um pouco mais de potencial na corrida. Mas, no fim, estavam todos mais ou menos iguais em quantidade de combustível porque viemos da classificação. Mas para o campeonato foi bom”, completou referindo-se à estratégia de corrida dele e dos rivais.

Adeus a Rodrigues – Antes da largada os pilotos se reuniram em um semicírculo na linha de chegada para a realização de um minuto de silêncio em homenagem a Amadeu Rodrigues. No dia anterior, os membros das equipes se postaram perfilados diante dos boxes em uma cerimônia na qual todos aplaudiram o caminhão da equipe Hot Car, de Amadeu Rodrigues, que cruzou lentamente o pit lane

Deixe uma resposta