Natiruts une estilos em novo show

Compartilhar

No repertório, canções como “Sol do meu amanhecer”, que contém a ideia de sempre do Natiruts: usar o reggae como ferramenta musical e cultural, mesclando-o com outras influências. Neste caso, a bossa nova entra em cena promovendo a união Brasil-Jamaica de forma direta. A música conta com arranjo de cordas e regência do maestro Joaquim França.

Em 2018, o oitavo disco – I Love – foi lançado e produzido pelo vocalista Alexandre Carlo no estúdio Zeroneutro, em Brasília/DF. Suas faixas são uma viagem por ritmos de diversos cantos do mundo em interpretações no melhor estilo Natiruts.

“O que o Natiruts entrega de melhor para o público são músicas que elevam o astral, que mudam a energia, que trazem positividade corporal e mental. Pelo menos esse é o feedback que a gente mais recebe dos fãs”, observa Alexandre Carlo.

“A gente vê um Brasil muito dividido e acho que a contribuição maior que o Natiruts pode dar é justamente exaltar a busca pela esperança, pela força familiar e pelo amor ao próximo. A gente acha que isso é de uma relevância muito grande nos dias atuais e ajuda muito no processo que o país vem passando agora”, completa o vocalista e compositor.

Natiruts

A banda nasceu em Brasília/DF com o nome Nativus. Foi fundada em 1996 por Alexandre Carlo que, na época, era estudante. Figurou no circuito universitário da Capital Federal e destacou-se na cena local, até que surgiu a oportunidade de gravar o primeiro CD no Rio de Janeiro/RJ. Daí para a frente, a história da banda rumou para caminhos que os próprios integrantes jamais imaginaram trilhar.

Serviço
Show Natiruts
30 de novembro
21h
Expo D. Pedro – Avenida Guilherme Campos, 500 – Jardim Santa Genebra – Campinas

Fonte: Assessoria de Imprensa

Hebe Rios

Editora-chefe

Deixe uma resposta